O GESTO DE BRYAN

29/04/2013 14:42

 

 

“Plante um sorriso e ganhe um amigo”

Esta parábola tem um sentido todo especial, tendo como objetivo nos levar a meditar sobre as nossas atitudes do dia a dia.

Uma senhora muito elegante teve o pneu do seu carro furado numa estrada. E ela encheu de preocupação porque estava num lugar isolado, e seria muito difícil aparecer alguém para ajuda-la.

De repente, se aproximou uma pessoa, que aparentava cansaço e fome. A mulher se preocupou. Achando que a pessoa iria lhe fazer algum mal.

Ao invés disso, ela lhe disse:

- Senhora, estou aqui ajuda-la a proposito, meu nome é Bryan. E logo Bryan trocou o pneu do carro, enquanto a senhora permanecia dentro do veiculo, porque estava muito frio.

Neste interim, ela conversava com ele e lhe agradecia a ajuda. Perguntou-lhe quanto devia. Ela estava agradecida e podia lhe pagar bem. Agradecia a Deus por Bryan ter aparecido.

Bryan não pensava em dinheiro. Aquilo não era um trabalho, era um prazer, ele gostava de ajudar as pessoas, Deus já lhe ajudava bastante. Era esse seu modo de agir e nunca lhe ocorreu agir de outro modo.

Ele então disse:

- Se, realmente a senhora quiser me reembolsar, da próxima vez que encontrar alguém necessitando de ajuda, dê-lhe o que precisar e pense em mim.

A senhora partiu. E, algumas milhas distantes dali, a senhora encontrou um restaurante muito modesto.

A garçonete, grávida de oito meses, veio atendê-la com um sorriso amplo nos lábios, apesar do corpo reclamar o cansaço apesar dos pés inchados, e apesar de seus inúmeros problemas pessoais, deu-lhe uma toalha limpa para que ela (visitante) pudesse secar os cabelos.

E a senhora se questionou como é que alguém numa situação assim, ainda, encontrava forças para tratar tão bem um estranho?

Ela se lembrou de Bryan. Depois que terminou a refeição, e enquanto a garçonete foi buscar o troco, para uma nota de cem dólares a senhora se retirou.

A garçonete procurou à senhora, mas não a encontrou, encontrou apenas um guardanapo sob o qual tinha mais quatro notas de cem dólares.

Seus olhos se encheram de lágrimas quando leu o escrito do guardanapo: “Você não deve nada. Já tenho o bastante. Alguém me ajudou uma vez, e da mesma forma estou lhe ajudando. Se quiser, realmente, me reembolsar, não deixe este circulo de amor terminar em você”.

Havia mesas para limpar, os açucareiros para encher e pessoas para servir. Aquela noite, quando a garçonete foi para casa, cheia de cansaço s deitou ao lado do seu marido e se questionou como àquela senhora sabia tanto da sua necessidade. E como ela e o marido precisavam daquela ajuda.

Era inverno e o bebe estava para chegar, no mês seguinte. Ela se virou para o marido que dormia ao seu lado, deu-lhe um beijo e sussurrou:

“Tudo ficará bem eu te amo Bryan”

Fica a lição de Bryan para todos nos. Que possam nela refletir em toda a nossa vida familiar, pessoal, e profissional. Tudo o que fazemos para o nosso semelhante faz bem para ela e também para nós.

Uma parte de nossa vida é pública, aquela que dedicamos ao serviço público. E por isso mesmo não nos pertencemos nessas horas. É por isso que devemos dar ás pessoas o melhor de nós. Não custa um tostão o bom atendimento, o sorriso, a presteza profissional e o ato de procurarmos ajuda as pessoas, simplesmente por ajudar. O restante Deus faz por nós.

Plante um sorriso e ganhe um amigo. Ter amigos é bom demais. Deixo o gesto de Bryan para a sua reflexão. Lembre-se que as dificuldades que vivemos no momento, tanto na vida familiar, pessoal e profissional, passam. O que vai permanecer mesmo é os nossos gestos com as outras pessoas no decorrer da nossa vida.

“Lembrei-vos dos encarcerados, como se presos com eles; dos que sofrem maus-tratos, como se, com efeito, vós mesmos em pessoas fosseis os maltratados”.

Hebreus 13.3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!